Preparar a luta… contra a homofobia!

Quase sempre não basta a boa vontade para conquistar aquilo que se quer. É preciso se preparar, estudar, qualificar, aprender… muitos são os argumentos dos contrários.

A homofobia está enraizada em nossa sociedade capitalista, machista e homofóbica. Por conta disso somos obrigados a reprimir nossa afetividade e, para fazê-la, ou estamos dentro das nossas casas, quando conquistamos independência de nossos pais, ou estamos em espaços segmentados, próprios, como boates, bares, saunas e festas lgbt. Para não ficar só na questão da sexualidade, nem nossa espiritualidade podemos manifestar, pois ou “deixamos” de ser homossexuais ou procuramos uma igreja inclusiva, presente somente nos grandes centros urbanos.

Então é preciso lutar muito. Arregaçar as mangas e trabalhar… A homofobia não nos deixa outra alternativa senão lutar, protestar, e dar visibilidade aos nossos desejos e anseios.

Em Jacareí, cidade do Vale do Paraíba, o conservadorismo reina. Encravada no eixo religioso da fé catolicista, nos deparamos com a presença midiática da renovação carismática e suas intempéries, da religiosidade conservadora e dos/as beatos/as santanários, passando pela exploração da capital da fé, Aparecida e do novo santo, Guaratinguetá. É assim mesmo, uma cidade média, com grandes empresas, comércio em crescimento, desenvolvimento em riste e preconceito em abundância.

É lutar muito e melhorar a situação. Não é fácil não. Como em lugar algum. É precisar trabalhar, lutar.

1ª Capacitação em Direitos Humanos em DST/HIV/aids - ONG REVIDA

1ª Capacitação em Direitos Humanos em DST/HIV/aids - ONG REVIDA

Criamos a ONG REVIDA, fomos atrás de parceiros e nesse dia 29 de novembro de 2009 realizamos a nossa 1ª Capacitação em Direitos Humanos para a população LGBT. Juntar esse povo em um curso em pleno domingo é complicado. Mas colocamos nossa cara à tapa. Era preciso fazer algo. Revezando entre 20 e 25 pessoas, fincamos mais uma estaca na homofobia.

Conversamos e discutimos, aprendemos, observamos, e choramos. Um trabalho estava iniciando.

Julian Rodrigues do grupo Corsa

Julian Rodrigues do grupo Corsa

Contamos com a preciosa colaboração do grupo CORSA, representados pelo Julian Rodrigues e pelo Lula Ramires, também se fez presente a Clara Cavalcante, do Programa Municipal DST/HIV/aids de Jandira, acompanhada por Pierre e Fernando. Dando suporte e financiando o encontro, pudemos contar com a presença significativa da Marisa Braga coordenadora do Programa Municipal DST/HIV/aids de Jacareí, que com sua simplicidade, mas aguerrida posição contra o preconceito, conquistou a todos/as.

Lula Ramires do grupo Corsa

Lula Ramires do grupo Corsa

E assim o encontro desenrolou. A emoção da abertura, quando anunciei que a ONG REVIDA foi selecionada pelo Programa Nacional DST/HIV/aids para desenvolver um projeto de atendimento jurídico às populações vulneráveis e curso de capacitação em Direitos Humanos em 2010, no valor de R$ 40 mil… o primeiro projeto financiado da ONG. O aprendizado proporcionado pela brilhante apresentação do Julian Rodrigues e do Lula Ramires, pela confraternização do almoço, pela presença iluminada da Clara Cavalcante, que soube com maestria, envolver todos/as na discussão na parte da tarde. Não posso deixar de mencionar dois momentos especiais na apresentação da Clara: quando meu companheiro Serginho relatou o preconceito vivido por ser afeminado e pela preocupação de um dia encontrar uma pessoa que o aceitasse, dizendo nesse momento que tinha encontrado essa pessoa quando me conheceu, há quase sete anos… falou de uma maneira que lacrimejou os olhos dos presentes, sem exceção. Não esperava por isso. E o outro momento foi quando a Clara pediu que olhássemos nos olhos da coordenadora do Programa Municipal de Jacareí, Marisa, e disséssemos o que queríamos. Pronto, pensei, o povo vai pedir recursos para a ONG, materiais, verba para encontros, reuniões, projetos, ao contrário, pediram que fossem respeitados, que os direitos fossem garantidos, que ações fossem realizadas para diminuir o preconceito e que fossemos tratados como iguais.

Clara Cavalcante, psicóloga de Jandira - SP

Clara Cavalcante, psicóloga de Jandira - SP

Dessa maneira aconteceu o nosso encontro nesse gostoso domingo. Aprendemos muito com o Julian, o Lula e a Clara. Aprendemos com nós mesmos e melhor, saímos com muita energia e vontade de arregaçar as mangas. Vamos fazer outros encontros, reuniões. Vamos articular para leis serem aprovadas e vamos realizar a 1ª Parada LGBT de Jacareí e do Vale do Paraíba em 2010.

Marisa Braga do PM DST/HIV/aids de Jacareí e Luiz André da ONG REVIDA

Marisa Braga do PM DST/HIV/aids de Jacareí e Luiz André da ONG REVIDA

Como não podia faltar, a confraternização após o encontro foi no bar da nossa amiga Matilde, que esteve presente no encontro e nos recebeu muito bem em seu estabelecimento. Não vou esquecer nunca desse dia. Por que começamos o “Jacareí sem Homofobia!”

Luiz André Moresi
Coordenador da ONG REVIDA de Jacareí

Confraternização - ONG REVIDA

Confraternização - ONG REVIDA

Um jornal, a matéria, o trabalho e um Amor!

Interessante como uma matéria no jornal dá uma visibilidade interessante ao trabalho que a gente desenvolve.
Sei que nem sempre a matéria é fidedigna, muitas vezes falta dados ou são apresentados distorcidos. No Jornal Diário de Jacareí desse sábado, dia 28/11/2009 saiu uma reportagem sobre a ONG REVIDA que presido, sobre o contrato de união homoafetiva que duas amigas vão celebrar e sobre um encontro LGBT no domingo, dia 29.

Matéria no Jornal Diário de Jacareí, dia 28/11/2009

Matéria no Jornal Diário de Jacareí, dia 28/11/2009

Vale lembrar que o contrato de união homoafetiva ou união estável é muito restritiva e quase não garante direitos. Alguns, mais para efeito de convênio médico ou em situações de jurisprudência decididos por meio da Justiça.

Matéria no Jornal Diário de Jacareí, dia 28/11/2009

Matéria no Jornal Diário de Jacareí, dia 28/11/2009

Nesse domingo, dia 29, vamos realizar nossa 1ª Capacitação e Sensibilização em Direitos Humanos em DST/HIV/aids para o público LGBT em parceria com o Programa Municipal DST/HIV/aids da Prefeitura Municipal de Jacareí. Vai ser um encontro muito interessante, com 40 pessoas, formadores de opinião e que vão poder dissiminar o conteúdo desenvolvido no dia.

E podem contar… uma Parada LGBT em Jacareí está por vir!!!

Matéria no Jornal Diário de Jacareí, dia 28/11/2009

Matéria no Jornal Diário de Jacareí, dia 28/11/2009

Uma Parada no interior!

A gente caminha pelas ruas e não imagina como será. Olha para o povo e não sabe da reação. O tempo? Uma incógnita. E o rio vai levando adiante suas águas. Os peixes, lá estão. Uma diversidade deles.

Rio Piracicaba

Águas do Rio Piracicaba

Cinco dias numa cidade do interior. Onde o rio passa e os peixes param. Cidade da cachaça e das pamonhas de Piracicaba.

Reunidos, 50 pessoas LGBTT discutiram seus direitos, organizaram suas lutas, avaliaram seus caminhos e descaminhos, refletiram suas ideias e por fim celebraram. Uma Parada no interior.

1º Encontro LGBT de Piracicaba e Região

1º Encontro LGBT de Piracicaba e Região

Cresci ouvindo aqueles carros de pamonhas gritando aos quatro cantos a famosa frase “Olha a pamonha, pamonhas, pamonhas de Piracicaba”. Nem imaginava de onde vinha aquele quitute de milho verde. Queria é me lambuzar do doce de Piracicaba. Agora já sei de onde vem. Cidade linda, acolhedora, povo simpático.

Cheguei na concentração da 3ª Parada LGBTT de Piracicaba. Povo já animado mesmo sem o som estar ligado. Gente diversa, alegre, chegando de toda parte da cidade. Em grupos, sozinhas, pulando, cantando ou chegando de fininho e observando. Famílias inteiras, crianças, idosos.

Concentração

Concentração da 3ª Parada LGBTT de Piracicaba

Chega um trio de um parceiro. Vira um alvoroço. Enfim o som, a música, o batidão. Em seguida, o trio oficial abre o som e coloca suas potentes caixas para funcionar. Uma loucura. A galera explode de emoção.

Gente montada de todo lado. Drag Queens, travestis, transexuais, gays, lésbicas e bissexuais se acomodavam entre os heteros simpatizantes.

A abertura oficial – Rubia, drag da cidade, arrasa ao lado de Dimmy Kieer, um amor e Salete Campari, engajada. Já víamos umas 10 mil pessoas. Vamos caminhando, as pessoas nas janelas dos prédios acenando, carros buzinando e o som rolando. Aí podíamos imaginar umas 20 mil pessoas até o momento que Dimmy Kieer avisa: São 20 mil pessoas, número oficial da polícia. É hora de perceber nos rostos das pessoas que organizaram a alegria e a satisfação. Dever cumprido. Mas muita emoção ainda ia rolar.

Dimmy Kieer, Luiz André e Salete Campari

Dimmy Kieer, Luiz André e Salete Campari

Do nada, uma cena triste. De alguma janela, um ovo é arremessado e atinge em cheio os peitos de uma travesti que estava em cima do trio elétrico. Nessa hora, Rubia, Dimmy e Salete param o trio e não deixam barato. A pessoa homofóbica tinha que ouvir poucas e boas. E tenho certeza, ouviu. Estava alí pertinho, se acovardando detrás de uma janela. Dado o recado, o trio segue… e desce a ladeira.

O trânsito se complica. O departamento de trânsito não organiza direito. No microfone, divina Rubia cobra do prefeito Barjas Negris providências. Danada ela. Incisiva. Mas o prefeito desce do trio e nada acontece. Militantes é que começam a organizar o trânsito nessa hora. Já estávamos terminando a parada. Destino final o palco montado no largo da Rua do Porto. Emoção! No palco, com entusiasmo é anunciado: 35 mil pessoas na 3ª Parada LGBTT de Piracicaba. Eu estava lá e comprovo.

Multidão

Multidão na 3ª Parada LGBTT de Piracicaba

Beirando o Rio Piracicaba, com sua beleza e seus peixes de testemunhas, via-se uma multidão celebrando a diversidade, reivindicando direitos negados, lutando contra a homofobia… vivendo o amor, que tem nome sim senhor: o amor lésbico e gay, o amor das travestis e transexuais. O amor LGBT.

Parabéns Alselmo/Theo pela organização, e em seu nome agradeço a hospitalidade, alegria e dedicação de todos e todas da ONG CASVI que proporcionaram esse momento maravilhoso para a história do Movimento LGBTT do Brasil.

VIVA A DIVERSIDADE!!!

Luiz André Moresi

Bandeira do Arco-íris

Bandeira do Arco-íris